Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
https://www.tecnologiammm.com.br/doi/10.4322/2176-1523.20191482
Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
Artigo Original

USO DE DIFERENTES CATALISADORES NA SÍNTESE DE POLIURETANOS PARA ESPUMAS FLEXÍVEIS

STUDY OF DIFFERENTS CATALYSIS AT SYNTESIS OF POLYURETHANE TO FLEXIBLE FOAMS

Amilton Barbosa Botelho Junior, André Albuquerque Vicente, Daniela Santos, Elton Nardoto, Flavia Gerjoi Bezerra,

Downloads: 1
Views: 57

Resumo

Os poliuretanos (PU’s) ocupam a sexta posição do mercado mundial de polímeros. Devido sua versatilidade, são aplicados em diferentes seguimentos como tintas e vernizes, adesivos, fibras, selantes, impermeabilizantes e espumas flexíveis, que representam 95% do mercado de PU brasileiro. Estudos visando analisar comportamento de aminas como catalisadores não são encontrados na literatura. O presente trabalho teve por objetivo estudar a diferença nos comportamentos físicos e químicos de espumas poliuretanas de densidades D18 e D33, utilizando quatro diferentes tipos de aminas terciárias como catalisadores: TEDA, BDE, DMCHA e TEDA em ácido carboxílico. Tempo de reatividade, densidade aparente, força de identação e resiliência foram verificadas a fim de estudar o comportamento destas espumas. Os resultados obtidos utilizando TEDA estiveram dentro do que se espera para uma espuma, enquanto que utilizando BDE e DMCHA não estiveram dentro dos padrões.

Palavras-chave

PU; Aminas; Isocianatos.

Abstract

The polyurethanes (PU’s) occupy the sixth position in the world market of polymers, due to their versatility they are applied in different segments such as: paints and varnishes, adhesives, fibers, sealants, waterproofing and flexible foams, representing 95%. Researchs aiming to analyze the behavior of amines as catalysts are not found in the literature. The present work aimed to study the differences in physical and chemical behavior of PU polyurethane foams of densities D18 and D33 using four different types of tertiary amines as catalysts: TEDA, BDE, DMCHA and TEDA in carboxylic acid. Reactivity time, apparent density, indentation strength and resilience were verified in order to study the behavior of these foams. The results obtained using TEDA were within what is expected for a foam, whereas using BDE and DMCHA were not within the standards.

Keywords

PU; Amines; Isocyanate.

Referências

1 Mano EB, Mendes LC. Introdução a polímeros. São Paulo: Edgard Blucher; 2004.

2 Canevarolo SV Jr. Ciência dos polímeros. 2. ed. São Paulo: Artliber; 2006.

3 Clemente M, Rocha RJ, Iha K, Rocco JAFF. Desenvolvimento de tecnologia de pré-polímeros na síntese de poliuretanos empregados em combustíveis sólidos. Quimica Nova. 2014;37(6):982-988. http://dx.doi.org/10.5935/0100-4042.20140154.

4 Lima V. Estudo de catalisadores organometálicos na síntese de poliuretanos. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; 2007.

5 Gomes AL. Desenvolvimento e aplicação de espumas uretânicas para a adsorção de bifenilas policloradas em óleo mineral isolante. Curitiba: Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento; 2006.

6 Serves V. Espumas flexíveis de poliuretana à base de polióis de óleo de mamona etoxilado [dissertação]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2007.

7 Ávila GB. Resina industrial de poliuretano modificada com terra diatomácea para ser empregada na modelagem odontológica [tese]. São Paulo: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto; 2009.

8 Ribeiro ECC. Reciclagem química de espumas de poliuretano [dissertação]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2010.

9 Bolsoni E. Estudo do reaproveitamento e reutilização das espumas rígidas de poliuretano pós-consumo [tese]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2008.

10 Soares MS. Síntese e caracterização de espumas de poliuretano para imobilização de células íntegras e aplicação na síntese de biodiesel [dissertação]. Lorena: Universidade de São Paulo; 2012.

11 American Society for Testing and Materials. ASTM D1622/D1622M-14: Standard Test Method for Apparent Density of Rigid Cellular Plastics. West Conshohocken: ASTM International; 2008 [acesso em 20 set. 2018]. Disponível em: https://www.astm.org/Standards/D1622.htm

12 Associação Brasileira de Normas Técnicas. ABNT NBR 8537: Espuma flexível de poliuretano — Determinação da densidade. Rio de Janeiro: ABNT; 2015 [acesso em 20 set. 2018]. Disponível em: https://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=329469

13 American Society for Testing and Materials. ASTM D3574-95: Standard Test Methods for Flexible Cellular Materials—Slab, Bonded, and Molded Urethane Foams. West Conshohocken: ASTM International; 2001. [acesso em 20 set. 2018]. Disponível em: https://www.astm.org/DATABASE.CART/HISTORICAL/D3574-95.htm

14 American Society for Testing and Materials. ASTM D2632: Standard Test Method for Rubber Property—Resilience by Vertical Rebound. West Conshohocken: ASTM International; 2015 [acesso em 20 set. 2018]. Disponível em: www.astm.org

15 Associação Brasileira de Normas Técnicas. ABNT NBR 8619: Espuma flexível de poliuretano — Determinação da resiliência. Rio de Janeiro: ABNT; 2015 [acesso em 20 set. 2018]. Disponível em: https://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=329537

16 Associação Brasileira de Normas Técnicas. ABNT NBR 8517: Espuma flexível de poliuretano - Determinação da passagem de ar através da espuma. Rio de Janeiro: ABNT; 2017.

17 Associação Brasileira de Normas Técnicas. ABNT NBR 13579-1: Colchão e colchonete de espuma flexível de poliuretano e bases Parte 1: Requisitos e métodos de ensaio. Rio de Janeiro: ABNT; 2011 [acesso em 20 set. 2018]. Disponível em: https://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=87771

5d8903c70e88255b3bc51225 tmm Articles
Links & Downloads

Tecnol. Metal. Mater. Min.

Share this page
Page Sections